Skip to content

Streamlit Session State: O Guia Essencial para Começar

O Streamlit revolucionou a forma como abordamos o desenvolvimento web, especialmente no campo da ciência de dados e aprendizado de máquina. Uma de suas funcionalidades mais poderosas é o Session State. Este artigo tem como objetivo fornecer um guia abrangente sobre o Streamlit Session State, seu uso, benefícios e como ele se compara a outras ferramentas de gerenciamento de estado.

Já ouviu falar dessa incrível ferramenta de Análise de Dados e Visualização de Dados, que transforma o seu aplicativo Streamlit em um Tableau?

PyGWalker (opens in a new tab) é uma biblioteca Python que ajuda a incorporar facilmente uma interface semelhante ao Tableau em seu próprio aplicativo Streamlit, sem esforço.

PyGWalker para visualização de dados no Streamlit (opens in a new tab)

Introdução ao Streamlit e Session State

O que é o Streamlit?

O Streamlit é uma biblioteca Python de código aberto que permite aos desenvolvedores criar aplicativos web interativos com facilidade. É particularmente popular entre cientistas de dados e engenheiros de aprendizado de máquina devido à sua simplicidade e capacidade de criar aplicativos web orientados a dados rapidamente.

Compreendendo o Session State no Streamlit

No contexto do desenvolvimento web, uma sessão refere-se ao período em que um usuário interage com um aplicativo web. Os dados que o aplicativo armazena sobre essa interação do usuário são conhecidos como Session State. No Streamlit, o Session State permite aos desenvolvedores manter dados entre as execuções, possibilitando a criação de aplicativos mais interativos e dinâmicos.

Utilizando o Streamlit Session State

Comece rapidamente com o Streamlit Session State

Usar o Streamlit Session State é simples. Ele permite que você armazene dados que persistem entre as execuções do aplicativo. Por exemplo, se você deseja armazenar a entrada de um usuário de um widget de entrada de texto, você pode armazená-la no session state. Aqui estão os passos:

  1. Instale o Streamlit, se ainda não o tiver feito: pip install streamlit
  2. Crie um novo arquivo Python e importe o Streamlit: import streamlit as st
  3. Inicialize seu session state: if 'my_var' not in st.session_state: st.session_state['my_var'] = 0
  4. Use seu session state em seu aplicativo: st.session_state['my_var'] += 1

Aqui está o código de exemplo:

import streamlit as st
 
if 'user_input' not in st.session_state:
    st.session_state['user_input'] = ''
 
user_input = st.text_input("Digite algum texto")
if user_input:
    st.session_state['user_input'] = user_input
 
st.write(f"Você digitou: {st.session_state['user_input']}")

Neste exemplo, a entrada do usuário é armazenada no session state e persiste mesmo se o aplicativo for reiniciado.

Além do básico: Casos de uso avançados e melhores práticas

Depois de dominar o básico, a diversão começa de verdade. O Streamlit Session State abre um mundo de casos de uso avançados. Por exemplo, você pode usá-lo para armazenar informações de autenticação do usuário. Aqui está um exemplo simples:

if 'username' not in st.session_state:
    st.session_state['username'] = ''
 
username = st.text_input("Digite seu nome de usuário")
if username:
    st.session_state['username'] = username
 
st.write(f"Olá, {st.session_state['username']}!")

Neste exemplo, o nome de usuário do usuário é armazenado no session state e persiste mesmo se o aplicativo for reiniciado.

Lembre-se, com grande poder vem grande responsabilidade. É crucial gerenciar adequadamente o seu session state para garantir que seu aplicativo funcione como uma máquina bem lubrificada.

Desvendando o Poder do Streamlit Session State

Streamlit Session State: Uma revolução no desenvolvimento web

O Streamlit Session State é uma revolução no desenvolvimento web. Ele permite a criação de aplicativos dinâmicos e interativos, pois os dados podem ser mantidos entre as execuções. Isso é uma bênção para aplicativos que requerem entrada do usuário ou têm várias etapas ou passos.

Streamlit Session State: Uma arma secreta em aprendizado de máquina e ciência de dados

No mundo do aprendizado de máquina e da ciência de dados, o Streamlit Session State é a arma secreta que você não sabia que precisava. Ele pode ser usado para armazenar tudo, desde:

  • Parâmetros do modelo
  • Entradas do usuário para filtros de dados
  • Resultados intermediários de processamento de dados

Isso significa que você pode evitar cálculos desnecessários e aumentar o desempenho do seu aplicativo.

Detalhes importantes: Desempenho e Limitações do Streamlit Session State

Embora o Streamlit Session State seja uma ferramenta poderosa, é importante estar ciente de suas limitações. O session state é armazenado em memória, portanto, pode aumentar o uso de memória do seu aplicativo. Portanto, é crucial gerenciar adequadamente o session state e evitar armazenar grandes quantidades de dados que possam causar problemas de desempenho.

Streamlit Session State vs Outras Ferramentas de Gerenciamento de Estado

Comparação: Streamlit Session State vs st.cache

O Streamlit oferece outra funcionalidade para o gerenciamento de estado: st.cache. Embora tanto o st.cache quanto o Session State permitam que você armazene dados entre as execuções, eles têm finalidades diferentes. O st.cache é projetado para armazenar em cache os resultados de cálculos demorados para melhorar o desempenho, enquanto o Session State é projetado para armazenar dados de interação do usuário entre as execuções.

Aqui está um exemplo simples de uso do st.cache:

@st.cache
def computacao_cara():
    # Alguma computação cara é realizada aqui
    return resultado
 
resultado = computacao_cara()

Neste exemplo, o resultado da computação cara é armazenado em cache e reutilizado em execuções subsequentes, melhorando o desempenho do aplicativo.

Você já ouviu falar dessa incrível ferramenta de Análise de Dados e Visualização de Dados, que transforma seu aplicativo Streamlit em um Tableau?

PyGWalker (opens in a new tab) é uma biblioteca em Python que ajuda a incorporar facilmente uma interface parecida com o Tableau em seu próprio aplicativo Streamlit sem esforço. Confira este vídeo incrível produzido por Sven do Coding is Fun (opens in a new tab) demonstrando os passos detalhados para fortalecer seu aplicativo Streamlit com esta poderosa Biblioteca de Visualização de Dados Python!


Agradecimentos especiais ao Sven e sua grande contribuição (opens in a new tab) para a comunidade do PyGWalker!

Além disso, você também pode conferir a Página do GitHub do PyGWalker (opens in a new tab) para mais exemplos do PyGWalker.

Streamlit Session State vs Redux: Uma Análise Detalhada

Redux é uma biblioteca popular para gerenciamento de estado em aplicativos JavaScript, especialmente aqueles construídos com React. Ele fornece uma loja centralizada para o estado que precisa ser usado em todo o aplicativo, com regras que garantem que o estado só possa ser atualizado de maneira previsível.

Por outro lado, o Streamlit Session State é um recurso da biblioteca Streamlit que permite que os dados persistam em execuções subsequentes do aplicativo. Ele é usado principalmente em aplicativos Python do lado do servidor para criar aplicativos da web interativos e dinâmicos.

Embora Redux e o Streamlit Session State cumpram o mesmo propósito de gerenciar o estado, eles são usados em contextos diferentes e têm recursos diferentes:

  • Linguagem de Programação: O Redux é usado com o JavaScript, enquanto o Streamlit Session State é usado com o Python.
  • Tipo de Aplicativo: O Redux é normalmente usado em aplicativos do lado do cliente, enquanto o Streamlit Session State é usado em aplicativos do lado do servidor.
  • Persistência do Estado: No Redux, o estado persiste enquanto o usuário estiver no site ou até que o estado seja explicitamente limpo. No Streamlit, o estado da sessão persiste em execuções subsequentes do aplicativo, mas é limpo quando o usuário fecha o aplicativo.
  • Curva de Aprendizado: O Redux tem uma curva de aprendizado mais íngreme devido a seus conceitos como redutores, ações e middleware. O Streamlit Session State, por outro lado, é mais simples e fácil de usar, especialmente para aqueles que já estão familiarizados com o Python.

Streamlit Session State vs Local Storage e Context API

O Local Storage e a Context API são outras soluções de gerenciamento de estado usadas em aplicativos JavaScript.

O Local Storage é um objeto de armazenamento da web que permite armazenar dados de forma persistente no navegador do usuário. Os dados armazenados no Local Storage não têm tempo de expiração e permanecem mesmo depois que o navegador é fechado e reaberto. Ele é útil para armazenar pequenas quantidades de dados como preferências do usuário ou dados de sessão.

A Context API, introduzida no React 16.3, permite compartilhar dados que podem ser considerados "globais" para uma árvore de componentes React, como o usuário autenticado atual, tema ou idioma. Ela é projetada para compartilhar dados que podem ser considerados globais para uma árvore de componentes React.

Embora essas ferramentas sejam poderosas por si só, elas não são diretamente comparáveis ​​ao Streamlit Session State, pois são usadas em diferentes linguagens de programação e contextos de aplicativos:

  • Linguagem de Programação: Tanto o Local Storage quanto a Context API são usados ​​com JavaScript, enquanto o Streamlit Session State é usado com o Python.
  • Persistência de Dados: O Local Storage permite que os dados persistam mesmo quando o navegador é fechado e reaberto, enquanto a Context API e o Streamlit Session State não possuem esse recurso.
  • Casos de Uso: O Local Storage é útil para armazenar pequenas quantidades de dados como preferências do usuário ou dados de sessão. A Context API é útil para compartilhar dados globais em uma árvore de componentes React. O Streamlit Session State é útil para armazenar dados que precisam persistir em execuções subsequentes do aplicativo.

Lidando com Tipos de Dados Complexos no Streamlit Session State

O Streamlit Session State não se limita apenas ao armazenamento de tipos de dados simples como números inteiros ou strings. Ele também pode lidar com tipos de dados complexos como listas, dicionários, conjuntos e até objetos personalizados. Isso o torna uma ferramenta versátil para gerenciar o estado em seus aplicativos Streamlit.

Por exemplo, você pode armazenar uma lista de entradas do usuário no estado da sessão:

if 'user_inputs' not in st.session_state:
    st.session_state['user_inputs'] = []
 
user_input = st.text_input("Digite algum texto")
if user_input:
    st.session_state['user_inputs'].append(user_input)
 
st.write(f"Você digitou: {st.session_state['user_inputs']}")

Neste exemplo, toda vez que o usuário digita algum texto, ele é adicionado a uma lista armazenada no estado da sessão.

Conclusão

O Streamlit Session State é uma ferramenta poderosa para gerenciar o estado em seus aplicativos Streamlit. Ele permite criar aplicativos mais interativos e dinâmicos armazenando dados em execuções subsequentes. Seja você um iniciante começando com o Streamlit ou um desenvolvedor experiente procurando otimizar seus aplicativos, entender e usar efetivamente o Session State pode melhorar significativamente o seu processo de desenvolvimento web.

Perguntas Frequentes

O que é o Session State no Streamlit?

O Session State no Streamlit é um recurso que permite que os dados persistam em execuções subsequentes do aplicativo. Ele é usado para armazenar dados sobre interações do usuário, tornando possível criar aplicativos mais interativos e dinâmicos.

Quais são as desvantagens do Streamlit? Embora o Streamlit seja uma ferramenta poderosa para criar aplicações web interativas, ele possui algumas limitações. Por exemplo, ele é projetado principalmente para prototipagem e pode não ser adequado para construir aplicações web complexas em grande escala. Além disso, por ser uma biblioteca relativamente nova, pode faltar alguns recursos encontrados em frameworks de desenvolvimento web mais maduros.

As sessões do Streamlit expiram?

As sessões do Streamlit não expiram por conta própria. No entanto, os dados no estado da sessão são limpos quando o usuário fecha a aplicação.

Como usar o estado da sessão no asp.net?

O estado da sessão no ASP.NET é um recurso que permite armazenar e recuperar valores específicos do usuário temporariamente. Você pode usá-lo chamando o objeto Session e atribuindo valores a ele, como Session["UserName"] = "John Doe";. Observe que isso é diferente do Streamlit Session State, que é usado em aplicações Python.